Pular para o conteúdo principal

Postagens

Novos estudos, Tratamento sem quimioterapia

Postagens recentes

O zika virus e o câncer

Zika vírus pode ser utilizado para combater o câncer: pesquisadores da UNICAMP utilizaram o zika vírus para matar células que possuíam um tumor cerebral maligno e agressivo. O zika vírus foi capaz de eliminar as células com câncer, sem afetar as células saudáveis. Muitos testes ainda serão realizados para que o tratamento seja implantando, mas a pesquisa já foi um grande passo na busca de novos tratamentos contra o câncer.

Estudo publicado na revista Cancer Research, da Associação Americana para o Pesquisa do Câncer, revela o lado terapêutico do vírus zika que, em 2015, deixou em alerta as autoridades mundiais de saúde pública, quando se estabeleceu a ligação entre a infecção pelo vírus durante a gestação e o nascimento de crianças com microcefalia. Agora, pesquisadores brasileiros do Centro de Estudos do Genoma Humano e Células-Tronco mostram, pela primeira vez em animais, o efeito deletério da injeção do vírus purificado, em baixa concentração, sobre tumores embrionários cerebrais, d…

A Cura Promissora de Novos tratamentos, sem quimioterapias

A vida de uma mulher com câncer de mama em estágio considerado terminal foi salva por um tratamento pioneiro, que consiste na aplicação de 90 bilhões de células imunológicas cujo objetivo é combater o tumor. Segundo pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer, nos EUA, o tratamento ainda é experimental, mas pode ter efeito transformador em todas as terapias de combate ao câncer. A mulher em questão é a americana Judy Perkins, 49 anos, que havia recebido, dois anos atrás, o prognóstico de que teria apenas três meses de vida restantes. A moradora da Flórida tinha câncer de mama em estágio avançado, que estava se espalhando - já havia tumores do tamanho de uma bola de tênis em seu fígado e em outras partes do corpo - e não havia mais perspectiva com tratamentos convencionais. Hoje, porém, não há vestígios do câncer em seu corpo, segundo médicos. E Judy tem aproveitado a vida viajando e praticando canoagem. "Cerca de uma semana depois (do tratamento pioneiro), eu comecei a sentir …

NOVE ENTRE DEZ CANCERES SÃO CAUSADOS PELO ESTILO DE VIDA SEGUNDO PESQUISAS

Foto: Divulgação / Coleção da Wellcome
Até nove em cada dez cânceres são causados por fatores externos, como fumar, beber, exposição ao sol e poluição, concluiu um estudo. Pesquisas anteriores sugeriam que mutações celulares aleatórias tinham papel significativo no desenvolvimento de tumores. É a “hipótese da má sorte”.
Eu acredito que tem muitas coisas que foram colocadas pelo homem e que provocam mutações negativas nas células, como a utilização de agrotóxicos, muitos deles liberados pelo governo, só pensam nos lucros e não pensam na saúde.
            FONTE: https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/seis-descobertas-recentes-sobre-cancer-18820555

NOVO ÓRGÃO DO CORPO HUMANO DESCOBERTO

Um novo órgão foi descoberto no corpo humano, e ele pode esclarecer a forma como o câncer se espalha pelo processo de metástase. Trata-se de um dos maiores órgãos do corpo, mas não era possível identificá-lo por conta de falta de sofisticação tecnológica para tanto. O tecido conjuntivo, presente entre diferentes tecidos, é o “novo” órgão chamado interstício. Ele reveste, por exemplo, o sistema digestivo, nossas veias e artérias. Em vez de as camadas intersticiais serem sólidas, como se pensava antes, elas são cheias de líquidos e interconectadas. É por conta disso que, entendendo melhor o funcionamento dessa estrutura, pode ficar mais fácil para pesquisadores descobrirem, no futuro, como o câncer consegue se espalhar rapidamente para outros órgãos. Desdobramentos positivos para tratamentos de edema e fibrose também são possíveis a partir da compreensão desse novo órgão. A descoberta foi feita por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos. O est…

Sobre o nosso sistema imune - o que diz a ciência sobre as vacinas atualmente

sistema imunológico nos libera do câncercontinuamente. Além de se encarregar de rechaçar as invasões de micróbios que ameaçam nossa saúde, ele é capaz de destruir células tumorais antes que elas virem um problema, e inclusive pode eliminar tumores já formados. Às vezes, o que parece uma cura milagrosa não passa de uma boa reação das próprias defesas do organismo contra o câncer, mas nem sempre elas bastam. Há mais de um século, intui-se o potencial de estimular o sistema imunológico contra os tumores, mas até a última década os cientistas não haviam obtido avanços importantes nessa tarefa. Agora a situação mudou.

a revista Science Translational Medicine publicou uma descoberta que pode abrir uma nova janela para os sistemas defensivos contra o câncer. Em alguns casos, as imunoterapias exigem uma ativação generalizada do sistema imunológico, com os subsequentes efeitos secundários, ou é necessário extrair células imunológicas para modificá-las em laboratório e tornar a injetá-las no p…

Sobre o Melanoma

Melanoma severo: maioria das vítimas tem poucas pintas Foto: Reprodução
O senso comum diz que pessoas com mais risco de câncer de pele são aquelas com muitas pintas no corpo. Mas um estudo publicado no periódico "Jama Dermatology" revela que a maioria das pessoas com melanoma (o tipo mais sério de câncer de pele) não tem muitos sinais. Grande parte das vítimas (66%) tinnham entre 0 e 20 sinais em todo o corpo.
https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/seis-descobertas-recentes-sobre-cancer-18820555