Pular para o conteúdo principal

Postagens

Sobre o nosso sistema imune - o que diz a ciência sobre as vacinas atualmente

Postagens recentes

Sobre o Melanoma

Melanoma severo: maioria das vítimas tem poucas pintas Foto: Reprodução
O senso comum diz que pessoas com mais risco de câncer de pele são aquelas com muitas pintas no corpo. Mas um estudo publicado no periódico "Jama Dermatology" revela que a maioria das pessoas com melanoma (o tipo mais sério de câncer de pele) não tem muitos sinais. Grande parte das vítimas (66%) tinnham entre 0 e 20 sinais em todo o corpo.
https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/seis-descobertas-recentes-sobre-cancer-18820555

A VITAMINA B17 E O CANCER

O Dr. Harold W. Manner, Professor de Biologia e Presidente do Departamento de Biologia da Universidade Loyola de Chicago, afirma que seu tratamento, baseado em pesquisas que se baseiam em uma controversa teoria da terapia de nutrição, . A controvérsia realmente começou em 1908, quando John Beard, professor de embriologia na Universidade de Edimburgo, sugeriu que os tumores malignos - câncer - podem ser curados pelo uso efetivo de enzimas comuns (em vez da cirurgia de mutilação, quimioterapia venenosa ou queima radiação utilizada pelo moderno estabelecimento médico).Tanto o Dr. Beard quanto sua teoria foram ridiculizados pelos cientistas do dia. Não foi até 1938 que o trabalho do professor de Edimburgo foi recolhido e continuado pelo Dr. Ernst Krebs e seu filho, Ernst Krebs, Jr. Os Krebs, de fato, dedicaram suas vidas à terapia nutricional. Fora desse trabalho veio "A Tese Trofoblástica do Câncer", o laetrilo (uma substância - também conhecida como ampíndina ou vitamina B-17 …

Sobre a alimentação e como o câncer se espalha ou não espalha - um estudo

Há crescentes provas de que aquilo que comemos pode alterar a forma como o cancro se espalha e cresce, apontam cientistas de Cambridge num estudo publicado esta semana na revista "Nature", onde a equipa do Instituto de Investigação sobre o Cancro apresenta os resultados de uma investigação ao efeito da asparagina no alastramento de um tipo agressivo de cancro de mama em ratinhos. A asparagina é encontrada na carne de frango, marisco e numa série de outros alimentos, em particular nos espargos aos quais foi buscar o nome. Sendo um dos aminoácidos mais comuns na natureza, o seu consumo ajuda o corpo a metabolizar os alimentos, mas de acordo com o estudo da equipa de Cambridge, parece também ser uma das comidas favoritas do cancro de mama que foi analisado. Normalmente, os ratinhos com esse tipo de tumor específico morriam no espaço de semanas à medida que as células cancerígenas se espalhavam pelo corpo. O que os cientistas perceberam é que uma dieta baixa em asparagina ou a …

CREIA

DEUS NOS QUER VER FELIZES,

CREIA ELE QUER TE CURAR.

CREIA ELE QUER TE VER SORRINDO,

CREIA ELE QUER QUE VOCÊ TENHA MUITO AMOR A VIDA.

Sobre as mutações aleatórias

Em um estudo publicado na última quinta-feira na revista Science, os pesquisadores reforçaram sua descoberta original, mas também corrigiram interpretações errôneas amplamente difundidas sobre seus resultados. Desta vez, usando registros de saúde de 69 países, eles concluíram que 66% das mutações genéticas causadoras de câncer surgiram do “azar” de uma célula saudável cometer um erro aleatório ao copiar seu DNA durante uma divisão. Enquanto isso, 29% dos cânceres são devidos a fatores ambientais e 5% à hereditariedade (genes herdados pela família biológica). Diferentes tipos de câncer diferem significativamente nessa estatística, no entanto, pelo menos 60% das mutações que provocam câncer de pele e pulmão são devidas ao meio ambiente, comparadas com 15% ou menos nos cânceres de próstata, osso, cérebro e mama. O número 66% não significa que dois terços dos cânceres estão além da prevenção. Porém, pode proporcionar conforto aos milhões de pacientes que desenvolveram câncer, mas levaram es…