Pular para o conteúdo principal

Repensando o papel dos antioxidantes


Infelizmente, um pesquisador de câncer de renome mundial agora sugere que tomar antioxidantes podem realmente ser prejudicial para alguns pacientes com câncer. Eles podem realmente impedir drogas quimio e radioterapia de matar células cancerosas.
Eu estava em férias com a família na primeira semana de janeiro e completamente perdido isso quando ele veio pela primeira vez 08 de janeiro: James Watson, o co-descobridor do DNA, prêmio Nobel e diretor emérito do Cold Spring Harbor Laboratory, um prestigiado centro de investigação sobre o cancro , assumiu o estabelecimento de pesquisa do câncer em um ensaio em aberto Biology.
Watson, que ganhou seu Nobel para o detalhamento da estrutura do DNA com seu parceiro Francis Crick e que tem focado principalmente na pesquisa sobre o câncer desde 1994, fez muitos pontos em seu ensaio: Ele diz que a nossa abordagem atual para pesquisa de câncer não é provável encontrar um curar.
Recentemente, a grande esperança em pesquisa sobre o câncer tem sido a de que iríamos encontrar genes específicos que, quando ilegível, causar câncer. Então, o pensamento fosse, teríamos encontrar drogas que reparar ou bloquear esse DNA ilegível, impedindo, assim, a divisão celular descontrolada que chamamos de câncer. No entanto, até agora, nenhuma das novas terapias, Watson aponta, curar o câncer. Eles podem trabalhar por alguns meses, mas eles são completamente impotente contra câncer metastático.
Aqui está o porquê: Se você bloquear um caminho que certas células cancerosas usam para se multiplicar, eles vão encontrar uma solução alternativa. E lembre-se, existem centenas, se não milhares, de tipos de câncer. Então, Watson está sugerindo que ao invés de mirar em mutações genéticas específicas para certos tipos de câncer, devemos olhar para as coisas que são comuns a todas as células cancerosas, coisas como radicais livres.
Se você tem muitos e muitos radicais livres em uma célula, a célula entra em "modo de auto-destruição." A célula morre, e é substituída por uma nova célula. O seu corpo substitui um milhão de células por segundo. Isso é bem legal, né?
Muitas das terapias do cancro, muitas drogas de quimioterapia e terapia de radiação, o trabalho, aumentando o número de radicais livres nas células cancerosas, interferindo com processos celulares até à ordem de auto-destruição sai. É por isso que, Watson afirma em um ensaio esta semana na revista New Scientist e em uma palestra publicado on-line esta semana pela UCLA, tomar antioxidantes podem realmente ser prejudicial para pacientes com câncer. Ele propõe que as drogas que bloqueiam antioxidantes, você poderia chamá-los de anti-antioxidantes, pode fazer existir medicamentos contra o câncer mais eficazes.
Como você pode imaginar, os argumentos de Watson criou um tumulto muito no mundo do câncer. Afinal de contas, os pesquisadores de câncer não são susceptíveis de mudar de rumo em um centavo e "contra o câncer" antioxidantes, o selênio, beta-caroteno, vitaminas A, C e E, são adicionados a tudo, desde bebidas energéticas para cereais matinais para ... you name it.
Enquanto alguns estudiosos tendem a desrespeitar abertamente uma lenda científica como Watson, alguns fizeram apontam que o artigo é um "artigo de opinião", isto é, uma proposta sugestiva em vez de uma afirmação apoiada por provas concretas.
Ainda assim, é opinião de um dos principais cientistas do nosso tempo. E é tão difícil de imaginar que o público ter sido exagerado sobre as propriedades de combate ao câncer de antioxidantes? Watson não está dizendo que os antioxidantes podem causar câncer, como muitos sites populares de imprensa informou. Ele está dizendo que é complicado, e isso é especialmente complicado para os pacientes com câncer.
Eu acho que os ensaios de Watson servir como um lembrete: É sempre bom lembrar que as coisas nunca são tão simples como poderíamos pensar ou desejar. Lembre-se de "DNA lixo", pedaços de código genético que não parecem significar alguma coisa? Acontece que ele realmente tem um propósito.
As coisas são sempre parte de um sistema complexo, muitas vezes, um sistema que nós não entendemos completamente. Por isso, é improvável que um componente de sua dieta seja de gordura, carboidratos ou açúcar ou de milho de alta frutose xarope é a fonte de todos os males. É igualmente improvável que um suplemento, se cartilagem ou qualquer antioxidantes, vai salvar o mundo do câncer.
Como pacientes com câncer, precisamos cultivar dois hábitos aparentemente contraditórias da mente: Precisamos manter nossas mentes abertas. Nem nós, nem os nossos médicos, saber tudo sobre o câncer. Nós também precisamos cultivar um saudável ceticismo. Respostas fáceis não são realmente lá fora.
Eu estarei interessado em ver se as idéias de Watson ganhar força. Afinal, eles são o resultado de décadas de experiência em pesquisa sobre o câncer. Nesse meio tempo, já que eu não estou em tratamento contra o câncer ativo, ainda estou comendo blueberries e iogurte pela manhã. E você?


fonte: http://blogs.webmd.com/cancer/2013/03/rethinking-antioxidants.html?ecd=wnl_can_040213&ctr=wnl-can-040213_ld-stry&mb=

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVELÓS OU "DEDINHO DE ANJO"

Cientistas e médicos brasileiros estão testando em humanos o potencial de uma planta africana para o tratamento do câncer. É possivelmente a primeira vez que o Brasil submete um medicamento dessa natureza, obtido em solo nacional, aos rigorosos testes médicos para a aprovação de uma nova droga.
A planta é a avelós (nome científico Euphorbia tirucalli), típica das regiões norte e nordeste do País. Sua ação medicinal já era mencionada na cultura popular, o que motivou a indústria farmacêutica a analisar sua ação em células em cultura e em animais.

Os resultados foram bastante promissores.
Ao que tudo indica, a substância age nas células do câncer induzindo a apoptose - uma espécie de suicídio celular. "É o que chamamos de morte celular programada", explicou ao G1 Auro Del Giglio, gerente do programa integrado de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e um dos coordenadores do estudo. "Em células normais, é um procedimento que acontece para a renovação das…

Carcinógenos Químicos

As substâncias químicas cancerígenas são encontradas distribuídas na natureza, compreendendo desde alimentos naturais até compostos altamente modificados pelo homem. Os carcinógenos químicos são divididos em duas categorias: carcinógenos diretos e indiretos. Os diretos são agentes alquilantes que já possuem atividade eletrofílica intrínseca, e devido a essa propriedade podem provocar câncer diretamente. A maioria das substâncias químicas são carcinógenos indiretos, precisam primeiro sofrer modificações químicas no organismo para então se tornarem eletrofílicas e ativas (BOGLIOLO, 1998). O metabolismo dos carcinógenos é feito por grande variedade de enzimas solúveis ou associadas com membranas, entre as quais as do citocromo P-450 são as mais importantes. A atividade desses sistemas enzimáticos sofrem influências de vários fatores endógenos e exógenos. Há variações qualitativas e quantitativas dessas enzimas em diferentes tecidos, em diferentes indivíduos e diferentes espécies, podendo…

A glicose, glutamina e o câncer

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Utah, em Sal Lake City, nos Estados Unidos, publicado recentemente no site da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, destaca alguns achados inéditos sobre a relação entre glicose e câncer.
As informações trazem algumas implicações que abrangem inclusive outras doenças, como o diabetes.
Segundo Donald Ayer, professor do Instituto de Câncer Huntsman da Universidade de Utah e um dos autores do trabalho, desde 1923 já se sabe que células tumorais usam muito mais glicose do que células normais. Ele afirma que a pesquisa ajuda a tentar entender como esse processo ocorre e como pode ser interrompido de modo a tentar controlar o crescimento dos tumores.
Tanto a glicose (açúcar) como a glutamina (aminoácido), essenciais para o crescimento celular, não funcionam de modo independente, como até pouco tempo atrás se imaginava. O que observou-se agora é que durante o crescimento de células normais ou cancerosas ocorr…