Pular para o conteúdo principal

Esperança de novos tratamentos contra o câncer

Três cientistas que desvendaram o funcionamento do sistema imunológico vão receber o Nobel de Medicina de outubro de 2011. Os laureados são o luxemburguês Jules Hoffmann, o canadense Ralph Steinman e o norte-americano Bruce Beutler. O anúncio foi feito ontem, em Estocolmo, na Suécia.

O trio transformou a compreensão sobre como o organismo se defende de ameaças, revelando que existem duas linhas de defesa contra vírus, bactérias e outros invasores. Lars Klareskog, presidente da Assembleia do Nobel, disse que as descobertas do trio podem levar a novas vacinas contra infecções, já em desenvolvimento, o que é cada vez mais necessário em decorrência do aumento da resistência dos organismos aos antibióticos.

Espera-se que os princípios descobertos possam conduzir ainda a melhores tratamentos contra o câncer. O princípio é de estimular o próprio sistema imunológico a combater os tumores. Também poderão ser beneficiados pacientes com artrite reumatoide, diabetes, esclerose múltipla e inflamações crônicas.

Beutler e Hoffmann foram citados pela descoberta da primeira linha de defesa. Eles identificaram proteínas que reconhecem bactérias e outros organismos nocivos, ativando o sistema imunológico. Essa é a chamada imunidade inata. “O sistema imunológico inato pode destruir micro-organismos infecciosos e provocar uma inflamação que contribui para bloquear o ataque antes do surgimento de anticorpos”, explicou o comitê do Nobel.

Steinman revelou o segundo recurso do sistema de defesa, a imunidade adaptativa, acionada quando a primeira linha não é suficiente. Ele descobriu as células dendríticas, gatilho de uma reação na qual os micro-organismos são eliminados e anticorpos são criados. Steinman mostrou que as células conservam a memória do agressor.

O que revelaram as pesquisas premiadas com o Nobel de Medicina deste ano:

O sistema imunológico
A infecção por micro-organismos causadores de doenças - como bactérias, vírus, parasitas ou fungos — aciona uma resposta imunológica. Ela ocorre em um processo de duas etapas: a imunidade inata e a subsequente imunidade adaptativa.

:: Imunidade inata
Partes dos micro-organismos se ligam a receptores existentes em muitas células do corpo. Isso ativa a imunidade inata, que produz uma inflamação e a destruição dos micro-organismos invasores.

:: Imunidade adaptativa
As célulasa dentríticas ativam os linfócitos T, que dão início à imunidade adaptativa. Uma cascata de reações imunológicas ocorre, com a formação de anticorpos e de células que matam os invasores.

Fontes: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&newsID=a3513038.xml&channel=13&tipo=1&section=Geral

http://www.dpnet.com.br/mundo/nota.asp?materia=20111003083344

http://www.sobrecancro.com/descoberta-ganhou-nobel-medicina-pode-conduzir-novos-tratamentos-contra-cancer-g356168514

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVELÓS OU "DEDINHO DE ANJO"

Cientistas e médicos brasileiros estão testando em humanos o potencial de uma planta africana para o tratamento do câncer. É possivelmente a primeira vez que o Brasil submete um medicamento dessa natureza, obtido em solo nacional, aos rigorosos testes médicos para a aprovação de uma nova droga.
A planta é a avelós (nome científico Euphorbia tirucalli), típica das regiões norte e nordeste do País. Sua ação medicinal já era mencionada na cultura popular, o que motivou a indústria farmacêutica a analisar sua ação em células em cultura e em animais.

Os resultados foram bastante promissores.
Ao que tudo indica, a substância age nas células do câncer induzindo a apoptose - uma espécie de suicídio celular. "É o que chamamos de morte celular programada", explicou ao G1 Auro Del Giglio, gerente do programa integrado de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e um dos coordenadores do estudo. "Em células normais, é um procedimento que acontece para a renovação das…

Carcinógenos Químicos

As substâncias químicas cancerígenas são encontradas distribuídas na natureza, compreendendo desde alimentos naturais até compostos altamente modificados pelo homem. Os carcinógenos químicos são divididos em duas categorias: carcinógenos diretos e indiretos. Os diretos são agentes alquilantes que já possuem atividade eletrofílica intrínseca, e devido a essa propriedade podem provocar câncer diretamente. A maioria das substâncias químicas são carcinógenos indiretos, precisam primeiro sofrer modificações químicas no organismo para então se tornarem eletrofílicas e ativas (BOGLIOLO, 1998). O metabolismo dos carcinógenos é feito por grande variedade de enzimas solúveis ou associadas com membranas, entre as quais as do citocromo P-450 são as mais importantes. A atividade desses sistemas enzimáticos sofrem influências de vários fatores endógenos e exógenos. Há variações qualitativas e quantitativas dessas enzimas em diferentes tecidos, em diferentes indivíduos e diferentes espécies, podendo…

A glicose, glutamina e o câncer

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Utah, em Sal Lake City, nos Estados Unidos, publicado recentemente no site da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, destaca alguns achados inéditos sobre a relação entre glicose e câncer.
As informações trazem algumas implicações que abrangem inclusive outras doenças, como o diabetes.
Segundo Donald Ayer, professor do Instituto de Câncer Huntsman da Universidade de Utah e um dos autores do trabalho, desde 1923 já se sabe que células tumorais usam muito mais glicose do que células normais. Ele afirma que a pesquisa ajuda a tentar entender como esse processo ocorre e como pode ser interrompido de modo a tentar controlar o crescimento dos tumores.
Tanto a glicose (açúcar) como a glutamina (aminoácido), essenciais para o crescimento celular, não funcionam de modo independente, como até pouco tempo atrás se imaginava. O que observou-se agora é que durante o crescimento de células normais ou cancerosas ocorr…