Pular para o conteúdo principal

Tabaco, quem usa e quem não usa sofre consequências:

O congresso mundial contra o câncer 2008 que começou dia 27 de agosto e terminou agora em 31 de agosto de 2008, em Genebra, Suiça, teve já na abertura a afirmativa: o tabaco é o maior fator de risco para o câncer.

                                                             campanha_nao_cigarro

Todo esforço concentrado nos perigos de pais fumando dentro de casa e de carros.

Genebra - É uma estatística surpreendente: 700 milhões de crianças - quase a metade dos jovens do mundo - respiram ar poluído pela fumaça de tabaco. As pessoas que fumam em espaços confinados, como dentro de casa ou no carro, submetem outras pessoas a uma mistura perigosa de toxinas, inclusive nicotina, monóxido de carbono e cianeto, mesmo quando as janelas estão abertas. O fumo passivo expõe crianças a riscos crônicos de saúde: - Aumenta o risco de um bebê morrer subitamente de causas inexplicáveis. - Contribui para o peso baixo de nascituros e prejudica o desenvolvimento dos pulmões. - Causa bronquite e pneumonia em adultos jovens. - Aumenta o risco de infecções auriculares, asma, tosse e respiração ofegante entre crianças em idade escolar.

Essas ameaças à saúde ressaltam a necessidade de os pais protegerem as crianças do fumo passivo. Na primeira campanha global deste gênero, a International Union Against Cancer (UICC) [União Internacional Contra o Câncer] e membros do mundo inteiro conduzirão uma iniciativa para promover às crianças ambientes livres de fumo. A campanha "I love my smoke-free childhood" (Adoro minha infância livre de fumo) será lançada no Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro, com estas mensagens para os pais: - Evite fumar em casa ou no carro. - Alerte as crianças para ficarem longe do fumo passivo ou de locais que permitem fumar. - Ensine às crianças que não existe um nível seguro de fumo passivo. - Não fume durante a gravidez ou perto de alguma mulher grávida. - Use uma creche livre de fumo. - Se você é fumante, pergunte ao médico como fazer para parar. - Seja um modelo de comportamento para seu filho - não fume.

Em apoio a essas mensagens, a UICC está publicando um relatório especializado de 40 páginas, "Protecting our children against secondhand smoke" [Protegendo nossos filhos contra o fumo passivo].

A campanha "I love my smoke-free childhood" é o primeiro foco dentro da Campanha Mundial Contra o Câncer, um esforço qüinqüenal de prevenção do câncer lançado no Dia Mundial do Câncer de 2007. A Campanha oferece aos pais medidas simples para serem ulteriormente compartilhadas com as crianças na prevenção do câncer. (www.worldcancercampaign.org).

"Quarenta por cento dos cânceres são evitáveis através de hábitos saudáveis. A primeira medida de prevenção é a educação, começando com pais e filhos. Cada história de sucesso significa menos vidas perdidas", diz Isabel Mortara, diretora executiva da UICC. "Os cânceres relacionados com o tabaco lideram a lista de mortes evitáveis, e centenas de milhares de pessoas que nunca fumaram morrem a cada ano de doenças causadas pelo fumo passivo. É por isto que esta iniciativa é tão importante".

Além de objetivar individualmente as pessoas, a UICC encoraja os formadores de opinião a colocar o câncer nas agendas públicas. Um número crescente de países já adotou leis 100% livres de fumo, proibindo fumar em todos os espaços públicos fechados, sem exceção. A Irlanda foi o primeiro país a fazê-lo em 2004, seguida pelo Reino Unido, Nova Zelândia, Uruguai, Bermudas, Butão e Irã. Porto Rico e vários estados e cidades dos EUA adotaram também tais proibições.

"Os países com leis 100% livres de fumo devem ser elogiados por seu legado em prol de famílias mais saudáveis. Nessas nações, a porcentagem de crianças expostas ao fumo passivo vem diminuindo com o tempo", diz o Dr. Franco Cavalli, presidente da UICC. "Embora tal tendência seja encorajadora, esta abordagem sozinha não protegerá as crianças do fumo passivo. É por isto que a educação dos pais é tão decisiva".

The International Union Against Cancer: Fundada em 1933, a UICC é o único consórcio verdadeiramente global de organizações de combate ao câncer do mundo, com 300 membros em 90 países englobando a África, as Américas, Ásia-Pacífico, Europa e o Oriente Médio. | www.uicc.org

Protecting our children against secondhand smoke: Este relatório especializado expõe as conseqüências na saúde da exposição das crianças à fumaça do tabaco, e faz recomendações detalhadas para proteger as crianças em lares, carros, creches, escolas e outros locais públicos. Entre os autores está o Dr. Jonathan Samet, editor científico sênior dos relatórios de 2004 e 2006 sobre o fumo e a saúde do U.S. Surgeon General (cargo nos EUA equivalente a ministro da saúde) (communication@uicc.org)

The World Cancer Congress 2008: O Congresso Mundial do Câncer oferece acesso aos líderes mundiais no controle do câncer. O próximo Congresso acontecerá em Genebra, de 27 a 31 de agosto. O encontro apresenta novas pesquisas sobre novos tópicos, e também soluções comprovadas e em andamento no controle do câncer. | www.uicc-congress.org | www.uicc.org | www.worldcancercampaign.org | Por: PR Newswire

NÃO FUME, FAÇA CAMPANHA CONTRA O FUMO, NÃO PRECISAMOS DISSO PARA VIVER.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVELÓS OU "DEDINHO DE ANJO"

Cientistas e médicos brasileiros estão testando em humanos o potencial de uma planta africana para o tratamento do câncer. É possivelmente a primeira vez que o Brasil submete um medicamento dessa natureza, obtido em solo nacional, aos rigorosos testes médicos para a aprovação de uma nova droga.
A planta é a avelós (nome científico Euphorbia tirucalli), típica das regiões norte e nordeste do País. Sua ação medicinal já era mencionada na cultura popular, o que motivou a indústria farmacêutica a analisar sua ação em células em cultura e em animais.

Os resultados foram bastante promissores.
Ao que tudo indica, a substância age nas células do câncer induzindo a apoptose - uma espécie de suicídio celular. "É o que chamamos de morte celular programada", explicou ao G1 Auro Del Giglio, gerente do programa integrado de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e um dos coordenadores do estudo. "Em células normais, é um procedimento que acontece para a renovação das…

Carcinógenos Químicos

As substâncias químicas cancerígenas são encontradas distribuídas na natureza, compreendendo desde alimentos naturais até compostos altamente modificados pelo homem. Os carcinógenos químicos são divididos em duas categorias: carcinógenos diretos e indiretos. Os diretos são agentes alquilantes que já possuem atividade eletrofílica intrínseca, e devido a essa propriedade podem provocar câncer diretamente. A maioria das substâncias químicas são carcinógenos indiretos, precisam primeiro sofrer modificações químicas no organismo para então se tornarem eletrofílicas e ativas (BOGLIOLO, 1998). O metabolismo dos carcinógenos é feito por grande variedade de enzimas solúveis ou associadas com membranas, entre as quais as do citocromo P-450 são as mais importantes. A atividade desses sistemas enzimáticos sofrem influências de vários fatores endógenos e exógenos. Há variações qualitativas e quantitativas dessas enzimas em diferentes tecidos, em diferentes indivíduos e diferentes espécies, podendo…

A glicose, glutamina e o câncer

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Utah, em Sal Lake City, nos Estados Unidos, publicado recentemente no site da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, destaca alguns achados inéditos sobre a relação entre glicose e câncer.
As informações trazem algumas implicações que abrangem inclusive outras doenças, como o diabetes.
Segundo Donald Ayer, professor do Instituto de Câncer Huntsman da Universidade de Utah e um dos autores do trabalho, desde 1923 já se sabe que células tumorais usam muito mais glicose do que células normais. Ele afirma que a pesquisa ajuda a tentar entender como esse processo ocorre e como pode ser interrompido de modo a tentar controlar o crescimento dos tumores.
Tanto a glicose (açúcar) como a glutamina (aminoácido), essenciais para o crescimento celular, não funcionam de modo independente, como até pouco tempo atrás se imaginava. O que observou-se agora é que durante o crescimento de células normais ou cancerosas ocorr…